terça-feira, 17 de outubro de 2017

memorias

cheiro, pele 
gosto, desejo
sorriso, olhar
mãos a tocar 
cabelos, ombros
altura, tronco
peito, paixão
em teus braços quero está
traços, nuca
nariz, sobrancelhas
lábios, língua
te decorei
te gravei em mim 
fotos, guardadas no baú do meu intimo 
minhas memórias 
serás sempre parte de mim 
serás sempre meu doce prazer
serás sempre aquela velha alma

esfinge

um pontinho
um pouquinho 
um carinho
você se mostrou 
eu permitir 
você sorriu
eu senti
você demonstrou 
eu interpretei 
com o coração que tenho
errôneo foi o sentimento 
teus lábios ainda em movimento 
lembro 
teu toque ardente 
teu cheiro ficou na boca
teu gosto de vinho 
quanto mais eu bebo
mais me perco 
no labirinto das tuas palavras 
no enigma que você é 
só um pontinho
só um pouquinho 
só um carinho
rasga a ceda 
desnuda a verdade 
retira o teu silencio
remove o doce da boca de criança 
o choro, um consolo 
não, isto não me pertence 
nós pertence
eu me vi em você
eu me vi sendo sua 
eu me... deixa para lá
eu apenas guardo 
um fragmento teu 
o abstrato sentimento 
o impalpável afeto 
o enigma não resolvido
a esfinge ganhou mais uma presa 

cada um



sobre becos e labirintos 
esses eu conheço 
me perco sempre 
já sei para onde este caminho irá me levar 
entre amores e paixões 
um gole amargo 
de pura ilusão 
sobre canções fúnebres que meus sentidos tocam
meus sentimentos em desarmonia 
no peito, ainda há um coração 
entre ansiedade e angustia
apenas uma lágrima
quente para findar o sofrimento 
o frio, o desalento 
sobre eu e você
a tantas barreiras 
que poderíamos vencer  
os pés já cansados 
o coração em farpas 
parou de bater 
entre você e eu 
não existe um nós
o véu enigmático da ilusão foi retirado 
cada um por si 
cada um para o lado oposto

bendito o mal(dito)

mal dia 
o dia que te vi 
mal dia 
o dia que te conheci 
mal dia 
o dia que permitir te escutar 
bendito seja 
as memórias esquecidas 
bendito seja
a distancia entre nós 
bendito seja 
a maldita hora 
que resolvi amar você

mal(dita)

um fragmento
é o que tenho 
teus lábios em movimento 
dizendo algo que ouvia 
mas que meu coração não aceitava escutar 
tuas mãos dançando no ar 
teus olhos penetrados nos meus 
é serio isso? 
não é pelo que nós leva a ilusão 
é o que grita mais alto 
no coração, na alma 
você acredita mesmo nas palavras que diz?
você acredita mesmo em um final sem nós?
você... 
não, para de falar 
eu preciso acreditar 
que tudo era
uma mal(dita) ilusão
um fragmento 
é o que tenho
você indo embora


um dia



quando a dor cessar 
me procura para a gente conversar 
ainda me preocupo com o seu bem estar 
quando a saudade apertar 
me segura em teus pensamentos 
posso te sentir, mesmo estando distante 
quando sentir vontade de falar comigo 
me diz o que está passando em silencio 
a língua do amor é o silencio 
mas....
caso você não me encontrar 
não se desespere 
fui aprender a lidar com o novelo de sentimentos 
com os pedaços de amor, 
com o pouco que restou 
se caso você ver as minhas costas 
não se desespere 
os machucados que verá cicatrizará com o tempo 
se caso você me chamar
não se desespere
estou longe demais para te escutar

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

desabafo





me desnuda com teu olhar 
veja minhas cores 
reconheça-se nelas
sente o que eu sinto 
permita-se
ser 
meu